Escritório de Projetos

O maior e melhor conteúdo gratuito de gerenciamento de projetos do Brasil

Um dos grandes problemas que havia no modelo Waterfall de gerenciar projetos de software é que o gap da concepção do projeto até sua entrega era gigantesco. Às vezes um cliente demorava anos para ver o resultado do que tinha pago e durante este tempo muita coisa poderia ter mudado na sua empresa, no mercado e no próprio projeto em si, gerando um risco altíssimo do software entregue não fazer mais sentido.

Com a introdução dos métodos ágeis na Engenharia de Software, a entrega deixou de ser realizada apenas no final do projeto e passou a ser feita em ciclos curtos de no máximo um mês, como prescreve o Scrum, por exemplo. Neste framework, há a cerimônia chamada Sprint Review ou Revisão da Sprint, um momento no último dia do ciclo de desenvolvimento onde o Time Scrum se reúne com os stakeholders a apresenta o progresso do mesmo.

Mas qual a utilidade dessa cerimônia, afinal?

A primeira e mais óbvia é realizar uma entrega que gere valor ao cliente. O objetivo principal de toda sprint é gerar um Incremento de software com potencial de ser colocado em produção. Diz-se "potencial" pois a decisão de colocar ou não em produção pode ser algo maior do que apenas estar DONE do ponto de vista dos programadores, pode ser uma decisão de negócio. De qualquer forma, a missão da sprint deve ser sempre o mais próximo possível de colocar algo em produção que gere valor ao cliente. Com este mindset, a Review é este momento de entregar valor ao cliente com um intervalo entre as entregas de no máximo um mês.

A segunda finalidade é que, principalmente em projetos de inovação ou em ambientes complexos e adaptativos, deixar para fazer uma única entrega ao final do projeto é loucura. O escopo nunca é fechado neste tipos de projeto, o mercado muda muito rápido e muitas vezes o que você está desenvolvendo nunca foi feito antes, logo precisamos o tempo todo ajustar o rumo do projeto. A Sprint Review é um excelente momento para receber feedback dos stakeholders e ajustar o curso do projeto, garantindo a comunicação e diminuindo o risco do projeto como um todo.

Não existe um formato específico para esta cerimônia. Ela pode ser tão simples quanto um notebook sendo utilizado para mostrar um software em funcionamento ou tão rebuscada quanto uma demonstração pública em um auditório, com coquetéis e tudo mais. Tudo vai depender do tamanho do projeto, do quão importante é esta entrega, etc. Via de regra o que não pode faltar em nenhuma Sprint Review é a apresentação do trabalho planejado x trabalho realizado e quais serão os próximos passos do Time Scrum, em linhas gerais o que o Product Owner está planejando para a próxima sprint.

Uma lista de coisas que podem acontecer nesta cerimônia incluem:

  • mostrar itens do Sprint Backlog que estão DONE e os que não foram finalizados;
  • falar dos problemas enfrentados que impediram alguns itens de ficarem DONE;
  • exibir o funcionamento e tirar dúvidas dos itens DONE;
  • falar do objetivo da próxima sprint, apresentando um esboço de Sprint Backlog;
  • rever orçamento, datas e prazos caso necessário;
  • falar do que mudou no mercado e ajustar roadmap;

Falando em duração, esta cerimônia não deve durar mais do que quatro horas para cada trinta dias de sprint e a sprint é considerada bem sucedida quando Product Owner e stakeholders concordam que o trabalho entregue foi satisfatório para esta iteração e o PO tem novos insights para atualizar seu Product Backlog.

 

 

 

Sobre o Autor

 

luizfernandoduartejunior

Agile Coach no Agibank, autor do blog LuizTools e programador nas horas vagas.

Autor dos livros:

 

 

 

 

 

Login