Escritório de Projetos

O maior e melhor conteúdo gratuito de gerenciamento de projetos do Brasil

O Product Backlog é um dos artefatos do Scrum que ajuda a orientar o trabalho do time. Ele é gerenciado pelo Product Owner que tem a palavra final sobre o mesmo e pode ser tão simples quanto um listão de funcionalidades e tão complicado quanto sequenciadores de features, user story mappings e muito mais. A técnica exata para gestão do Product Backlog é a que funciona para manter o time alinhado e o produto gerando valor para os clientes, embora o próprio Scrum não prescreve uma técnica específica.

Todo tipo de insight de negócio, demanda de áreas estratégicas ou necessidade de mercado pode virar um item de Product Backlog, mas somente o P.O. que pode priorizá-lo. Um Backlog priorizado, refinado e acessível a todos os membros do Time Scrum é um pré-requisito para que o pilar da Transparência do Scrum seja respeitado. Mais do que isso, somente itens de backlog que estejam devidamente refinados e priorizados que podem entrar para discussão em uma Sprint Planning.

Refinar o Product Backlog significa detalhar os itens de backlog mais prioritários, mais no topo da lista, de maneira que as dúvidas de negócio tenham sido sanadas, os riscos técnicos tenham sido estudados e todo tipo de detalhe que possa atrapalhar o entendimento do time tenha sido resolvido. É comum que a partir do refinamento do Product Backlog (que não possui uma cerimônia específica, acontece durante toda a sprint corrente, preparando o Backlog para a sprint posterior) itens mudem de prioridade, itens grandes demais sejam quebrados em itens menores e que novos tens surjam em decorrência de itens já existentes. O P.O. é o grande responsável por fazer esse refinamento constante, com a ajuda de stakeholders e dos demais membros do Time Scrum.

Já priorizar o Product Backlog significa que, baseado em diversas métricas, cálculos, estudos de mercado e estudos de viabilidade o P.O. decide quais itens são mais prioritários em relação a outros. Itens prioritários podem estar no topo da lista pois irão gerar o maior retorno possível no menor tempo previsto. Podem atender a uma necessidade legal da empresa que é urgente ou podem representar a correção de problemas existentes no produto atual. Uma vez que eles estejam no topo, eles estão em vias de serem apresentados para desenvolvimento na próxima sprint e devem ser refinados para prepará-los para a Sprint Planning. O Scrum não prescreve uma técnica de priorização, embora os métodos ágeis estejam cheios de métricas úteis neste momento como ROI, CAC, LTV e MRR ou técnicas como Valor x Esforço, Buy a Feature Game, etc.

Geralmente o Product Backlog é armazenado em um repositório público que o time tem acesso, em ferramentas de Task Management como TFS, Basecamp ou Jira, ou em simplíssimas como o próprio Trello. Dependendo da ferramenta, o Product Owner terá mais poder à sua disposição para refinar e priorizar o backlog, uma vez que algumas destas ferramentas permitem a aplicação de várias técnicas de mercado de maneira mais eficiente. Novamente, o Scrum não prescreve a necessidade de uma ferramenta para isso, embora seja uma prática muito comum.

Independente das técnicas utilizadas e do formato de representação e gerenciamento, o Product Backlog é de responsabilidade do Product Owner manter atualizado, priorizado e visível, tal qual define o Scrum Guide. Essa é a base para que o Time Scrum entregue valor da forma mais ágil possível para a empresa e seus clientes.

 

 

 

Sobre o Autor

 

luizfernandoduartejunior

Agile Coach no Agibank, autor do blog LuizTools e programador nas horas vagas.

Autor dos livros:

 

 

 

 

 

Login