Escritório de Projetos

O maior e melhor conteúdo gratuito de gerenciamento de projetos do Brasil

O mundo do gestão de projetos é cheio de temas de interesse que geram ampla discussão. Mas tem um tema não tão comum que faz parte do dia a dia dos projetos e as pessoas sequer percebem isso. Me refiro à crenças limitantes. Esse é um tema fora dos tradicionais manuais de gestão de projetos que merece uma devida reflexão. Neste artigo irei explorar este aspecto.

O mundo do gestão de projetos é cheio de temas de interesse que geram ampla discussão. Mas tem um tema não tão comum que faz parte do dia a dia dos projetos e as pessoas sequer percebem isso. Me refiro à crenças limitantes. Esse é um tema fora dos tradicionais manuais de gestão de projetos que merece uma devida reflexão.

Crenças limitantes são coisas em que acreditamos e que nos bloqueiam de ir em frente na busca de um objetivo. São pensamentos que restringem nossas ações de alguma forma. E, dessa forma, limitam nossa vida. A questão é que muitas vezes, essas crenças são irreais e infundadas. Apenas coisas da nossa cabeça.

Por exemplo, vamos supor que você seja um engenheiro e tenha uma excelente desenvoltura lógica e com os números. Por se enxergar dessa forma, você cria uma crença limitante de que não pode aprender a cantar, tocar um instrumento ou pintar pois não têm talento artístico. Afinal, o seu negócio são os números, certo? Não é bem assim. Uma coisa não impede a outra. Pensar dessa maneira significa criar uma crença que está limitando o seu desenvolvimento em áreas do seu interesse.

No mundo dos projetos, isso pode se refletir em inúmeras situações. Vejamos alguns exemplos.

- “Não vou conseguir apoio da direção da empresa para tocar este projeto.” Talvez por algum motivo, no passado você tentou vender uma ideia para a direção e não teve sucesso. Agora, você está com essa crença limitante de que nada do que você propuser será aceito. Não é assim. As pessoas que compõe a alta gerência das empresas são espertas e saberão reconhecer uma boa ideia. Se você acredita que têm uma nas mãos não deixe que essa crença limitante impeça você de ir adiante.

- “O cliente não aceitará prorrogar o projeto para incluir esta nova funcionalidade que está pedindo.” Essa é outra crença limitante. Tudo depende do quão importante a nova funcionalidade é para o cliente. Se ele realmente valorizá-la pode estar disposto a abrir mão de um pouco de prazo. Em vez de assumir que ele não irá aceitar, apresente a situação para o cliente e veja o que ele diz. Possivelmente terá boas surpresas.

- “Nossa equipe não têm o conhecimento suficiente para fazer este projeto”. Mais um exemplo, de como você pode acabar se limitando como gerente de projetos. Talvez a equipe não seja tão qualificada como você gostaria, mas isso não quer dizer que não consiga fazer o projeto. São coisas diferentes. Com o devido apoio a equipe pode se desenvolver nas suas áreas deficientes ao longo do projeto e entregá-lo com o devido nível de qualidade. Você como líder da equipe precisa acreditar nisso e passar essa confiança para a equipe.

Esses são apenas alguns exemplos. Muitos outros acontecem no dia a dia. É claro, que isso não significa que a partir de agora você deva achar que tudo pode e não existem limites. Existirão casos em que eles estarão lá e serão bem reais. O ponto aqui é você saber reconhecer quando esses limites existem de fato ou quando são algo que estão apenas na sua cabeça.

 

 

Sobre o Autor

 

juank

Juan O’Keeffe é empreendedor e escreve sobre desenvolvimento pessoal no seu blog evoluçãopessoal.com.br. Atuou por muitos anos como gerente de projetos de software para uma multinacional Fortune 500 do setor de alta tecnologia. Nesse tempo teve a oportunidade de trabalhar em projetos de desenvolvimento de produtos inovadores na área de cloud computing e firmware para storage tendo também a oportunidade de conhecer o Vale do Silício nos EUA.

 

 

 

 

Login